Quarta, 01 Julho 2020 00:22

Polícia Civil prende autônomo acusado de abusar sexualmente das filhas de 7 e 10 anos

Polícia Civil prende autônomo acusado de abusar sexualmente das filhas de 7 e 10 anos Ascom/Polícia Civil

A PCRR (Polícia Civil de Roraima), da equipe de agentes do SIOP (Setor de investigação e operação) do NPCA (Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente), cumpriu na manhã desta terça-feira, dia 30, um mandado de prisão preventiva em desfavor do autônomo J.R.P.N., de 49 anos, por estupro de duas filhas de 7 e 10 anos de idade.

De acordo com a delegada Catherine Aires Saraiva, o caso veio à tona quando uma das meninas aproveitou a visita da mãe e relatou os abusos que estava sofrendo.
Os quatro filhos do casal, sendo três meninas e um menino, moravam com o pai que detinha a guarda deles. Quando a mãe foi visitá-los, após o filho ter fugido da casa do pai, uma das meninas contou o que estava acontecendo e demonstrou estar com muito medo. A mulher procurou a Delegacia e o Conselho tutelar imediatamente.

Ao serem ouvidas no NPCA, acompanhadas da mãe, as duas meninas confirmaram os abusos, que foram mais frequentes com a mais velha. Elas relataram que o pai gostava de assistir vídeos pornográficos e que repetidas vezes, mesmo elas alegando dores e pedindo para ele não fazer, abusava delas tanto na cama onde dormiam, como as levava para o banheiro.

Uma das vítimas relatou ainda que por várias vezes o infrator passava as mãos em seus seios e partes íntimas.
De acordo com informações prestadas pela delegada Catherine Saraiva, o infrator já tem passagem na Polícia pelo mesmo crime, praticado contra uma filha dele de um casamento anterior, hoje com 28 anos.

“Quando ele ainda estava no albergue, solicitou a guarda das crianças, pois a mãe enfrentava problemas com drogas e desde então ele vem abusando das garotas”, relatou à delegada.

O depoimento do irmão das vítimas de 12 anos também confirmou os abusos. Ele também foi ouvido e revelou que o pai mostrava vídeos pornográficos e obrigava uma das filhas a assistir ou sempre se trancava com uma das irmãs no quarto, e não sabia o que eles estavam fazendo.
De acordo com o menino, por inúmeras vezes o pai assistia a vídeos de “homem e mulher sem roupa” com as irmãs. Além disso, o pai não deixava as duas meninas terem amigos ou brincarem com outras crianças, muitas vezes ameaçando de lhes “quebrar as pernas” caso saíssem de casa.

“Além dos abusos sexuais, o pai batia nas crianças quando elas o desobedeciam. Todas elas declararam que não querem mais voltar para a casa do pai, pois têm medo dele”, reforçou a delegada.

Após a denúncia, o Conselho Tutelar foi até a residência do acusado e retirou as crianças do local, entregando-as à mãe. Em sua declaração, a mãe afirmou que não visitava as crianças com frequência, pois sempre que ia a casa, o ex-marido tentava abusá-la, motivo pelo qual ela já havia solicitado uma MPU (Medida Protetiva de Urgência).

“Após toda essa situação, o acusado ainda foi na casa da ex-mulher, acompanhado de um advogado, e tentou fazer com que ela assinasse alguns papéis, mas ela se recusou e ainda a alertou que ela não deveria ter procurado o Conselho Tutelar para retirar as crianças, mas que deveria ter ido à Justiça para passar os finais de semana com elas”, observou Catherine Saraiva.

A delegada representou pela prisão preventiva do acusado, sendo decretada pela Justiça. O mandado foi cumprido pelos agentes do NPCA no momento em que o homem chegava à sua casa, no bairro asa Branca.
Após a formalização da prisão, ele foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) para o exame de integridade física e, posteriormente, apresentado ao Sistema Prisional onde ficará à disposição da Justiça. As duas garotas foram encaminhadas para atendimento médico e psicológico.